segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Mr. Muscle

Hoje em dia é cada vez mais frequente cruzarmo-nos com este tipo de indivíduos que exibem os ditos músculos como se de uma obra sobrenatural se tratasse. Existem diferenças abismais entre os que praticam culturismo e defendem o seu gosto pelo exercício até à exaustão e aqueles que consomem toda uma panóplia de “medicamentos” que os obrigam a ganhar massa muscular e desse modo desenvolver aqueles corpos monstruosos. Posto isto e durante um vagueio pelos blogs li uma descrição que encaixa em situações vividas por cada um de nós, passando a citar: “os mostra-músculos besuntados de óleo Johnson's que não param de se exibir constantemente pela discoteca fora com um tank-top branco, uma corrente ao pescoço e uns jeans tamanho abaixo. Estes normalmente chamam o porteiro por “mano” e conhecem-no do ginásio lá do bairro onde ambos treinam. Depois de entrarem, circulam e circulam e circulam e circulam, a olhar as meninas pelo cantinho do olho, enquanto comem pastilha elástica acompanhados normalmente de um amigo meia-leca que sonha ser como eles. Saem com uns números de telefone gravados no telemóvel e em frente dos nomes escrevem algo que as identifique, para ajudar à memória, exemplo: Carla (fofa) ou Carla (beca gorda) ou Carla (bem boa).” No mínimo hilariante não? É incrível como a perda de classe e saber estar está cada vez mais evidente na nossa população.

3 comentários:

pinguim disse...

Muito bem apanhada essa descrição; e nas discotecas gay, agora, ai de quem não tenha um peito bem desenvolvido para exibir com a tee shirt pendurada nos jeans; isto é o que vejo por aí, pois sempre detestei discotecas; bares, houve uma fase em que ia e era bom por encontrar lá as pessoas com quem me dava; agora: "home sweet home"...
Abraço.

Anónimo disse...

Acho pouco estético a hipertrofia muscular, tal como não aprecio ver na praia ou na piscina os hipotrofiados muitas vezes com evidentes deformações posturais. De qualquer forma, aceito benevolente o fenómeno e entendo este exibicionismo tal como uma moda, só com uma nuance que faz toda a diferença:
Noutra modas, basta gastar-se o dinheiro necessário e ficar "na moda", enquanto aqui faz falta muito mais que dinheiro, o que não estará ao alcance de todos os que queriam.
Daí a aparecerem vozes despeitadas, incomodadas com a estética corporal dos outros, é um passo! Também não gosto da moda dos jeans rasgados, mas como qualquer um os pode ter já não há quem os critique com os laivos xenófobos que aqui se expressaram.
Já agora, e só para o "Pinguim", vê lá se te contradizes menos, para quem detesta ir a discotecas, pareces estar demasiadamente bem informado do que por lá se pode ver, especialmente naquelas frequentadas pelos gays, isto a julgar pelo detalhe das descrições que fazes. "Quem desdenha quer comprar", não é? Já vi começar por menos! Deixa-te de comentários parvos e inscreve-te no ginásio mais próximo, vais ver que gostas, e sempre vês uns peitos com que sonhas...Fiquem bem!

Fábio Savelha disse...

Olá anónimo,
tal como qualquer outro visitante do blog que pretenda expor a sua opinião, a secção de comentários serve exactamente para isso. O comentário que enviou está publicado e como tal só me resta agradecer a visita. Quanto ao que disse, não de foi de modo algum com intenção de estigmatizar os ditos Mrs Muscle - título atribuido - que o assunto foi publicado. Assim como referiu a moda das calças ragasdas que não deve ser visto com sentido prejurativo o assunto do exibicionismo excessivo que hoje em dia se fazem a músculos que nem músculos desenvolvidos são vai pelo mesmo caminho. Tudo não passa de uma opinião e gosto pessoal.
Peço-lhe só é que evite utilizar o blog para ataques virtuais a quem não se conhece quando não se dá a cara.

Obrigado pelo comentário.
Volte sempre

Fábio